Sobre a Choro Music

Você está aqui: Início » Quem somos » Sobre a Choro Music
Playalongs da música instrumental brasileira.

A Choro Music nasceu com o propósito inicial de levar a música instrumental brasileira para o mundo todo através de playalongs (álbuns impressos de partituras com CD de áudio), para que as pessoas possam ouvir as músicas e também tocá-las em seus instrumentos.

A inspiração veio quando vim morar nos Estados Unidos pela primeira vez em 1995 e aqui descobri o universo dos "playalongs". Como flautista e apaixonado por música instrumental, fiquei maravilhado com a possibilidade de poder tocar Bach, Vivaldi, Haendel e muitos outros acompanhado de uma orquestra de alto nível. Para isso bastava comprar um álbum de partituras com um CD estéreo por algo em torno de US$30, colocar o CD no meu aparelho de som e sair tocando.

Não somente todo um repertório de músicas clássicas está disponível, mas também um vasto repertório de jazz se encontra em formato playalong. Logo após a excitação de poder tocar com uma orquestra tudo que sempre tinha praticado na minha vida de músico, veio a pergunta: mas e para a música instrumental brasileira, o que estaria disponível ?

A resposta dessa questão está ligada na verdade a uma outra pergunta: qual o estilo musical brasileiro mais tocado no mundo todo?

Se você respondeu bossa nova, acertou e basicamente era isso que havia disponível no mercado em termos de playalong. As editoras Hal Leonard e James Aebersold realizaram um ótimo trabalho ao longo do tempo de produção de playalongs para jazz e principalmente a Hal Leonard construiu uma coleção dedicada à bossa nova.

Mas não havia absolutamente nada para choro ou música instrumental brasileira, o que foi uma grande frustração para mim como grande apaixonado por choro. Acabei desenvolvendo então um sonho de produzir playalongs para choro em 1995 que pude realizar a partir de 2006, quando a Choro Music foi fundada.

Preenchendo uma lacuna na música instrumental brasileira

Nasci e cresci numa família musical, recebendo influência de música clásica das minhas irmãs mais velhas e de música brasileira (choro e samba) pelo meu pai e pelo meu irmão mais velho. Meu irmão Nelson Dalla Rosa, aliás, compôs e ganhou o samba enredo da Mangueira em 1998, com uma bela homenagem a Chico Buarque e foi premiado com a escola sendo a campeã daquele ano. Veja aqui: http://www.youtube.com/watch?v=cwabwqijMGQ

Aos 14 anos de idade comecei a tocar choro com uma flauta doce, acompanhado de meu irmão no violão e cavaco. A escolha da flauta doce foi simplesmente por questões econômicas na época. Comprar uma flauta transversal estava fora de cogitação.

Como minha família tinha dificuldades em pagar um professor de música, fui ter as primeiras aulas de teoria musical com o irmão de meu cunhado na época. Senti a necessidade de aprender a ler música e essa habilidade me abriu um universo imenso, praticamente ilimitado. Aos 15 anos, trabalhando como office-boy, usava boa parte de meu salário para comprar partituras, não só de Bach, Vivaldi e música barroca, mas principalmente de Choro. Na minha busca insaciável por partituras de choro, sempre ouvia a mesma coisa dos vendedores das lojas de partitura da época (Casa Manon, Casa Bevilácqua, Casa Mozart): "Você de novo? Você já esteve aqui há 3 meses e comprou tudo que havia! O pessoal não edita esse tipo de coisa!"  

Aos 19 anos de idade, já estudando computação da Universidade de São Paulo e trabalhando como programador, pude não só comprar uma flauta transversal como também pagar minhas aulas com o melhor professor de flauta da cidade na época, o Professor João Dias Carrasqueira, que foi um grande mestre para mim. Aos 20 anos entrei no mundo do choro profissional, quando comecei a frequentar o clube de choro de SP (então localizado na rua João Moura), onde tive a oportunidade de tocar com Carlos Poyares.

Quando me lembro dessa época, imediatamente vem à mente a questão das ferramentas disponíveis para tocar, aprender e desenvolver repertório de choro, que eram bem precárias.

A Choro Music então ajuda a preencher uma lacuna importante nesse sentido, pois nossos playalongs são ferramentas extremamente eficientes para se aprender e desenvolver repertório de choro.

Playalong como estudo, diversão e até trabalho

O universo dos playalongs fornece aos músicos amadores e profissionais um espectro incrível de possibilidades. Como estudo, você pode ouvir uma interpretação de alto nível e desenvolver sua própria técnica, decorar uma peça, desenvolver um repertório próprio, desenvolver suas habilidades de improvisação, além de poder fazer uso dos recursos digitais do século 21: entre as incontáveis possibilidades que se apresentam para nós músicos, posso citar duas que têm aplicações imediatas:

  • com pouco esforço você consegue, por exemplo, alterar o andamento de uma peça (mantendo a tonalidade) e incrementalmente aumentar o andamento até conseguir tocar no andamento correto.
  • você pode alterar tonalidade (mantendo o andamento).

Explicamos como isso pode ser feito na seção "recursos" deste site.

Tocar música instrumental brasileira com um bom acompanhamento, especialmente se você tiver um bom aparelho de som, refresca a alma. Como exemplo, te convido a tocar (ou somente ouvir) um segmento da composição Caminhos do songbook Marquinho Mendonça:

(clique na miniatura para ampliar)

  1. toque junto
    Playback
  2. ouça o segmento com solo de Marquinho Mendonça
    Faixa com solista

Ou este excitante choro, consagrado por Jacob do Bandolim:

(clique na miniatura para ampliar)

  1. toque junto
    Playback
  2. ouça o segmento com solo de Nailor Proveta
    Faixa com solista

Como trabalho, corriqueiramente utilizo os playalongs da Choro Music para dar palestras e até tocar em público.

O trabalho de geração de playalongs para a música instrumental brasileira é praticamente interminável e esperamos continuar e levar nossos songbooks ao mundo todo.

Daniel DalarossaDaniel Dalarossa
Fundador e Presidente